Press "Enter" to skip to content

RIO DE JANEIRO TEM O PIOR TRANSPORTE DO BRASIL, MOSTRA ESTUDO

Gostou? Compartilhe!

O trabalhador carioca perde cerca de uma hora e meia, todo dia, no transporte público. Isso sem contar os 19 minutos, em média, que aguarda esperando até seu transporte chegar.

A cidade do Rio de Janeiro teve a pior classificação entre os 74 centros urbanos analisados pela instituição de pesquisa Expert Market, as cidades de São Paulo, Salvador e Brasília também aparecem na lista, em terceiro, quinto e sétimo lugar respectivamente.

Com sede em Austin, nos Estados Unidos, a empresa se baseou em indicadores como tempo de viagem, distância percorrida e tempo de espera para pegar o transporte público, também foram levadas em consideração as baldeações necessárias em uma única viagem e o custo mensal do transporte, comparado com o salário médio da população. Tendo por base esses dados foi possível elaborar uma classificação com as melhores e piores cidades do mundo para uma pessoa utilizar transporte público.

Além do tempo gasto na espera e na viagem, o usuário de transporte público do Rio de Janeiro também sofre com os preços elevados da passagem. Considerando uma pessoa que necessite de apenas uma condução para ir e para voltar do trabalho, ele gastará cerca de R$ 160 por mês, o que compromete 9,4% do seu salário, em média.

O transporte público no Rio de Janeiro conta com uma pequena linha de metrô, um serviço de trens urbanos, e cerca de 5000 ônibus a diesel, em um sistema pouco integrado em que várias linhas de ônibus se sobrepõem e os modais concorrem entre si.

A grande novidade dos últimos anos foi a construção de um sistema de ônibus a diesel articulados que rodam em uma pista segregada, o sistema, conhecido como BRT, foi construído em substituição a um projeto de metrô, para suprir a necessidade de transporte de uma região que a cada dia se torna mais adensada.

Atualmente se considera que o sistema BRT, utilizando ônibus a diesel, já nasceu saturado, é possível ver ônibus do sistema BRT lotados a qualquer hora do dia, a situação só não é pior por que, em vista do desconforto, boa parte dos usuários que possuem carros, continuam usando seus veículos para se locomover diariamente, gerando extensos engarrafamentos nos horários de pico.

Estudos demonstram que o transporte sobre trilhos, como trens, VLTs e metrô, tem maior capacidade de convencer os usuários a deixar o carro em casa e optar pelo transporte público do que os sistemas baseados em ônibus a diesel.

Em contraste com essa realidade estão as cidades europeias, que ocupam as 10 posições entre os melhores centros de transporte, com seus históricos sistemas públicos baseados em trilhos. A França lidera o ranking, não só com Nice em primeiro lugar, mas como um dos países da lista que mais possui cidades com bom custo benefício de transporte. A Itália é a única que se equipara com esse resultado, apresentando também três cidades no ranking.

Leia mais: Alemanha planeja transporte publico gratuito para combater poluição

Com informações: Época Negócios, Extra Online, StreetsBlogUSA

Leia mais:

O DILEMA DE UM PAÍS SEM TRENS DE PASSAGEIROS

NA RUSSIA, UMA CLÍNICA SOBRE RODAS ATENDE O INTERIOR

MOÇAMBIQUE IRÁ INVESTIR 200 MILHÕES DE DÓLARES NA MODERNIZAÇÃO DE SUAS FERROVIAS

GOVERNO CANCELA RECURSOS PARA MOBILIDADE URBANA

INDEFINIÇÃO DO GOVERNO FEDERAL IMPEDE RETOMADA DOS TRENS DE PASSAGEIROS NO PAÍS


Gostou? Compartilhe!

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *