O BRASIL PRECISA DE UMA ESTRATÉGIA DE NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO, DIZ MARCONI COORDENADOR DO CIRO

Nelson Marconi/Ciro Gomes - Fonte: TodoscomCiro
Gostou? Compartilhe!
  • 206
    Shares

Nelson Marconi, Coordenador do programa de governo de Ciro participou do encontro “O Desenvolvimento que o Brasil Precisa”, promovido ontem (8) pela Associação Brasileira de Desenvolvimento (ABDE). Neste encontro foi abordado estratégias para equilibrar as contas públicas, recuperar o investimento e geração de emprego e renda no país.

Segundo o coordenador do programa de governo do candidato Ciro Gomes, o Brasil precisa de uma estratégia nacional de desenvolvimento. “O Brasil precisa de um plano, um conjunto de propostas, nacional de longo prazo. O nosso ponto de partida é: onde nós queremos chegar? Para isso, precisa de uma estratégia”, afirmou.

Marconi afirmou que o programa do PDT vai contemplar as reformas fiscal, tributária e previdenciária, “para acertarmos a questão fiscal”. Segundo ele, o partido defende o controle das despesas públicas, mas prega a revogação do teto dos gastos públicos. “A PEC [95] não controlou gastos, mas reduziu o tamanho do Estado. Não é isso que a gente defende. Possivelmente tem de haver um teto para dívida, mas preservando algumas despesas como saúde, educação e segurança pública”, argumentou.

Com informações Agência Brasil

Assessores de seis candidatos a presidente da República debateram hoje (8), em Brasília, caminhos para a retomada do crescimento econômico no país. No encontro O Desenvolvimento que o Brasil Precisa, promovido pela Associação Brasileira de Desenvolvimento (ABDE), foram abordadas estratégias para equilibrar as contas públicas, recuperar o investimento e geração de emprego e renda no país.

A associação reúne instituições do Sistema Nacional de Fomento (SNF), integrado por bancos públicos federais, bancos de desenvolvimento controlados pelos estados, agências de fomento, bancos cooperativos, cooperativas de crédito, bancos públicos comerciais estaduais com carteira de desenvolvimento, a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e o Sebrae. Segundo a ABDE, essas instituições respondem por cerca de 50% das operações de crédito no Brasil.

No documento entregue às assessorias dos presidenciáveis, a ABDE defende o papel do Sistema Nacional de Fomento na retomada do crescimento. Diz ainda que o nível de investimento precisa subir dos atuais 15% do PIB (Produto Interno Bruto) para 25% – patamar já alcançado pelo país em períodos de desenvolvimento.

O encontro foi divido em três etapas. Na primeira parte, a direção da ABDE e do SNF fez uma apresentação do setor. Depois, os seis assessores discorreram sobre as propostas de governo dos candidatos na área econômica. A ordem de apresentação de cada assessor foi definida por sorteio. O encontro foi encerrado com perguntas de membros da ABDE e de jornalistas.

Participaram do encontro os assessores: Ana Paula Oliveira (candidato Alvaro Dias, do Pode), Nelson Marconi (candidato Ciro Gomes, do PDT), Marco Antônio Rocha (candidato Guilherme Boulos, do PSOL), José Márcio Camargo (candidato Henrique Meirelles, do MDB), Márcio Porchman (candidato Luiz Inácio Lula da Silva, do PT) e Eduardo Bandeira de Melo (candidata Marina Silva, da Rede).


Gostou? Compartilhe!
  • 206
    Shares