JOEL MALUCELLI, SUPLENTE DE ALVARO DIAS, TEVE PRISÃO DECRETA EM CURITIBA

Joel Malucelli e Alvaro Dias
Gostou? Compartilhe!

Com Informações Útimo Segundo

Além do ex-governador e atual candidato ao Senado Beto Richa (PSDB), sua esposa Fernanda Richa, e homens ligados ao tucano, serem presos nesta terça-feira (11), o empresário Joel Malucelli, dono do grupo J. Malucelli, também teve sua prisão decretada hoje.

Considerado um dos homens mais influentes do estado, Joel Malucelli é amigo pessoal e suplente licenciado do candidato à Presidência da República Álvaro Dias (Podemos). Ele não foi encontrado em casa, mas responde por um mandato de prisão também pela operação do Gaeco.

Malucelli também é sogro de João Arruda, candidato ao governo do Paraná pelo MDB e primo do candidato a vice-governador de Cida Borghetii, Coronel Malucelli.

De acordo com as investigações, o empresário seria um dos integrantes do grupo de empreiteiras, que, de acordo com o MPF, fraudava licitações nas chamadas Patrulhas Rurais, de obras de manutenção em estradas rurais no estado do Paraná.

Nesta terça, Beto Richa foi preso pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) em Curitiba, no Paraná. A esposa do atual candidato tucano ao Senado, Fernanda Richa, também foi detida, ambos no prédio onde eles moram, na capital paranaense.

Além deles, foram presos Deonilson Roldo, ex-chefe de gabinete de Richa, Pepe Richa, irmão de Beto e ex-secretário de Infraestrutura, Ezequias Moreira, ex-secretário de cerimonial de Richa, e Luiz Abib Antoun, outro parente do ex-governador. Todas as prisões são temporárias e devem durar cerca de cinco dias consecutivos.

Em julho deste ano, Malucelli havia solicitado, por meio de um documento enviado ao presidente do Senado Federal, Eunício de Oliveira, o seu licenciamento da condição de primeiro suplente do senador Álvaro Dias .

No documento, Joel Malucelli alegava desconforto com as tentativas injustas iniciadas ao longo da pré-campanha eleitoral para atingi-lo e, supostamente, prejudicar Álvaro Dias. Na ocasião, Joel também esclareceu ao presidente do Senado que estava se dedicando a novos negócios que exigiriam dele uma constante atenção e frequentes viagens, limitando a sua disponibilidade para tarefas parlamentares.


Gostou? Compartilhe!