Apenas três anos após tragédia de Mariana, outra barragem da Vale deixa rastro de Destruição e Mortes

O antes e depois da tragédia de Brumadinho
Gostou? Compartilhe!

Com informações RFI

Uma barragem de contenção da mineradora Vale rompeu nesta sexta-feira (25) em Brumadinho (MG). Segundo as últimas informaçõoes do Corpo de Bombeiros, cerca de 200 pessoas estão desaparecidas. O drama acontece três anos e dois meses após o mesmo tipo de incidente com uma barragem da Samarco, também operada pela Vale, em um distrito de Mariana (MG).

“Segundo os relatos que estamos recebendo, houve vários mortos”, afirmou a fonte. “Os rejeitos tomaram toda a região da empresa”, acrescentou, se referindo à localidade de Brumadinho, município a 60 km da capital Belo Horizonte.

Em 2015, a ruptura de uma represa de mineração da Vale e da BHP-Billiton em Mariana, outra localidade em Minas Gerais, deixou 19 mortos, no maior desastre ambiental da história do Brasil. A empresa não confirmou ainda o número de feridos.

A Vale informou em comunicado que a ruptura desta sexta-feira ocorreu no início da tarde e que “sua prioridade total, neste momento, é preservar e proteger a vida de funcionários e moradores”.O documento não diz nada sobre as causas do acidente.

Imagens divulgadas por bombeiros mostram a inundação de lama impressionante em grandes áreas de vegetação. A televisão mostrou casas destruídas.

O município de Brumadinho, localizado a 4,5 quilômetros do grande museu a céu aberto de Inhotim, pediu nas redes sociais que a população fique afastada do rio Paraopeba, no qual a barragem foi construída. O museu foi completamente esvaziado por medida se segurança.


Gostou? Compartilhe!