Policiais se Revoltam com Bolsonaro. PM ameaça Greve Geral

Gostou? Compartilhe!

Vice-líder do governo desde a última terça-feira, 26, o deputado capitão Augusto (PR-SP) afirmou que a Polícia Militar pode entrar em greve contra a reforma da Previdência.

A notícia foi dada em uma reunião da bancada do partido, e, de acordo com o parlamentar, pode envolver policiais de todo o país caso as novas regras alterem na garantia de mesmo salário para PMs da reserva e da ativa.

Regras desagradam

As regras para a Previdência contidas na proposta enviada ao Congresso não agradaram aos policiais. Segundo eles, as atividades de bombeiros e policiais devem ter um tratamento previdenciário diferente do oferecido às Forças Armadas.

“Eu não vejo as Forças Armadas chamarem homens de 60 anos de idade para fazer o serviço militar. Eles só chamam com 18. E com 20, 22, eles já estão descartando. Ou seja, se tiver uma guerra, as próprias Forças Armadas têm que levar para uma eventual guerra um contingente com vigor físico invejável. Por que a polícia militar, então, tem que trabalhar até os 60, 65 anos?”, indagou o deputado Coronel Tadeu (PSL-SP), em uma reunião realizada na última terça-feira.

Para o parlamentar, ampliar a idade mínima para a aposentadoria pode trazer prejuízos à sociedade. “O que você acha de um senhor de 65 anos de idade portando uma arma, um colete, um cinturão, correndo atrás de um bandido com fuzil? Vigor físico não bate”, indica.

Eduardo Bolsonaro, um dos principais articuladores do apoio dos policias ao seu pai, Jair Bolsonaro, tem sofrido intensa cobrança. Eduardo e seus irmãos haviam prometido a diversas associações de policias que os agentes não seria incluídos na Reforma da Previdência. 

Policiais civis e federais protestam contra mudanças propostas na reforma da Previdência

Entidades que representam policiais civis e federais vão procurar o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), para falar sobre a reforma da Previdência, segundo a coluna Painel, da Folha de S. Paulo.

O presidente da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal, Edvandir Felix de Paiva, antecipou ao diretor-geral da PF, Maurício Valeixo, a insatisfação da categoria.

“A aposentadoria é a única coisa palpável que o policial tem. O resto é dificuldade no orçamento, no trabalho, e morte”, disse à publicação.



Informações Yahoo e Folha de SP


Gostou? Compartilhe!