Ciro e Lula

Gostou? Compartilhe!

O encontro entre Ciro e Lula dificilmente ocorrerá, com Lula livre ou preso.

Explico-me: não pretendem que seja um encontro político, em que seriam discutidas estratégias para a esquerda reconquistar o poder, via eleições, com a explicitação de que a única candidatura com viabilidade seria a de Ciro Gomes. Não!

Pretendem a rendição de Ciro.

Pretendem que Ciro peça a benção, numa demonstração de subserviência incompatível com a estatura dele.

É preciso ter clareza disso.

Política não é feita com pedidos de submissão voluntária nem com estabelecimento de hierarquias.

Política deve ser feita com pensamento estratégico, em que os parceiros são reconhecidos como iguais.

Lamentavelmente esse não é o caso. Essa a razão pela qual Ciro deve conduzir sua trajetória rumo a 2022 sem esperar nada do PT.

Trata-se, ao contrário, de estabelecer diálogos com o povo, com os trabalhadores, com os estudantes, com a classe média, mostrando que seu projeto nacional desenvolvimentista é capaz de construir futuro decente para brasileiras e brasileiros.

Ciro é filho do Brasil e tem se dedicado a decifrar os caminhos que devemos trilhar para nos inserirmos, com dignidade, na era das revoluções tecnológicas.

Ciro Gomes será cada vez mais ouvido e será acolhido como força política capaz de repor as esperanças de dias melhores.

Esse acolhimento a Ciro Gomes é fruto da percepção de que tanto o projeto político do PT se exauriu quanto a opção Bolsonaro não passou de uma frustração. Mas não só.

Ciro Gomes carrega a responsabilidade histórica de fomentar, nas brasileiras e nos brasileiros, suas potencialidades. De que com trabalho, sensibilidade e dedicação podemos produzir dias melhores, em que nenhum brasileiro precise deixar o país para encontrar vida melhor.

Ciro Gomes encarna a imagem de alguém que, como nós, sofre, se decepciona, erra, mas é de capaz de, pelo trabalho, conquistar seu lugar e tomar nas mãos seu destino.

Essa a razão pela qual Ciro Gomes será cada vez mais acolhido pelo povo brasileiro.

Professor Luiz Moreira


Gostou? Compartilhe!