ALLEYCAT: Bolsonaro, Michelle e Mion; Previdência e o Autismo

Gostou? Compartilhe!

Como estamos vivendo dias insólitos, as vezes muitas coisas passam por nós e acabamos não dando a devida importância, pois esse desgoverno gera tantos absurdos, tal qual um despreparado sendo anunciado pelo pai como Embaixador por sua habilidade em fritar hambúrgueres, ou mesmo a última frase fecal de Bolsonaro sobre o Nordeste, que acabamos passando por pautas que deveriam ser discutidas pela sociedade, e que infelizmente acabam sendo soterradas pelas boçalidades deste desgoverno.

Hoje eu vim falar sobre o Autismo, e sobre a decisão de Bolsonaro voltar atrás pelo Censo Autista.

Vou aproveitar a oportunidade e me apresentar um pouco; Eu tenho dois sobrinhos Autistas, e minha irmã é uma guerreira incansável na luta pelo bem-estar dos meus sobrinhos, e posso lhes afirma que é uma luta diária que vai além de altruísmo, beirando ao estoicismo.

Não sendo apenas a minha irmã,  também temos um membro do grupo e amigo que também tem um filho autista, e posso lhes afirmar que o amor de pai dele é superior ao de muitas mães de especiais que eu conheci.

Viu Bolsonaro, só neste pequeno texto já temos três autistas, imagina no Censo?

Voltando ao assunto, quando foi anunciado que a reforma da Previdência havia passado com todas as suas distorções, incluindo o corte do BPC para autistas de grau leve (Chegaremos nesta pauta também), voltou-se ao tema do Censo no qual Bolsonaro questionou sobre a necessidade do Censo incluir o Autismo na sua plataforma, já que com isso não só o Gov como a população teria os dados atualizados do número de autistas no Brasil.
De primeira Bolsonaro questionou se isso seria necessário, usando o Defeso ( Lei que dispõe ao pescador artesanal um seguro desemprego quando está na época de Defeso dos peixes), já que o próprio Bolsonaro falou que muitos pais e mães poderiam dizer no Censo que tem filhos autistas, para poderem ganhar algum benefício, tal qual alguns ´´pescadores“ fizeram na lei do Defeso.

O que mostra mais uma vez que Bolsonaro não entende nada sobre benefícios de Especiais, e nem sabe o quanto é penoso para país e mães de Especiais garantirem algum benefício aos filhos, como se um simples Censo fosse levar Psiquiatras e Especialistas do INSS para incluir crianças com espectro autistas no BPC instantaneamente. Só isso mostra o quão desqualificado ele é.

Depois da avalanche de criticas que ele tomou ao comparar pais e mães de autistas a pessoas que se beneficiam do Defeso sem serem pescadores artesanais, Bolsonaro voltou atrás, mas para isso montou um circo, um espetáculo, incluindo Michelle Bolsonaro e Marcos Mion.
Houve uma reunião no planalto com Michelle Bolsonaro e Marcos Mion, com fotos, vídeos, todos sentados à mesa com toda a assessoria de Bolsonaro, incluindo o próprio, como se estivessem discutindo o suprassumo de uma lei máxima para autistas, mas no caso era uma simples canetada para incluir o autismo no Censo. Vou repetir, todo o circo era para pura e simplesmente o Censo saber o número de autistas no Brasil em 2020.

Logo após Bolsonaro sancionar o óbvio, Marcos Mion foi as redes socias comemorar o fato, como se estivesse garantido toda uma rede de proteção para milhares de pais e mães de autistas do Brasil.
É aqui que entra a minha crítica mais pesada.

Quando estava na pauta a Reforma da Previdência, onde estava lá explícito que Autistas de grau leve ficariam de fora do recebimento das pensões dos pais ou mães, onde estava Marcos Mion e Michelle Bolsonaro para garantirem a dignidade dessas crianças e jovens?

Por que só agora que essa Deforma passou, prejudicando milhares de pais e mães de autistas, eles vieram a pública em defesa do Censo garantir a contagem de autistas no Brasil?

Por que na hora da luta pesada contra essa maldade da Reforma eles se ausentaram, e na hora de uma luta simples, onde qualquer organização poderia entra com um pedido judicial para incluir o autismo no Censo, eles foram lá garantir os Holofotes?

Eu chamo isso de covardia e conluio com esse governo apatetado.
Não quero aqui atacar a integridade paterna de Marcos Mion, pois sinto que ele ama seu filho com todas as forças, e é sim um pai dedicado. Eu só o culpo em gastar toda essa energia em defesa do Censo, que poderia ter sido gasta melhor na denuncia contra a covardia da retirada de pensão de crianças e jovens autistas, cuja a morte dos pais ficarão desamparadas no futuro.

E não, Michelle Bolsonaro não é nenhuma heroína ao fazer Bolsonaro mudar de ideia sobre incluir o autismo no Censo. Isso só mostra que ela se casou com alguém sem coração, que só muda de ideia quando fala uma besteira fecal muito grande, e para reverter isso, precisa de sua mulher como muleta para se insinuar maleável a questões sociais. Hipocrisia!
O que se passou nesta reunião sobre inclusão do Autismo no Censo foi pura e simples hipocrisia. Holofotes para uma questão simples, e escuridão para questões graves como a retirada da pensão de autistas.
Sobre o BPC, já tem mães de autistas que já foram retiradas do benefício, pois já bateram no teto salarial mesmo tendo passado por todos os laudos do INSS, isso já ocorre desde o Gov Temer, e que ficará pior, bem pior no Gov Bolsonaro. E essa retirada da pensão de Autistas de grau Leve, que muitos nem sabem quantificar ou qualificar o grau dos mesmos, jogará a futuro muitos autistas nas ruas, sem salário, vivendo sob a caridade de alguma instituição, ou nem isso. O que prova mais uma vez o tipo de gente que aprova um Reforma dessas sem ler, fazendo-a passar com casca e tudo.

O que mais me doí nisso tudo, é que vejo pessoas altamente compromissadas com as questões do Autismo, como a Andréa Werner, mãe de um autista e ativista dos direitos do autista, que foi candidata do PSOL a Deputada Federal, que levaria a nossa luta a Câmara dos Deputados em Brasília, mas o povo de SP preferiu levar Kim Kataguiri e Alexandre Frota que votaram a favor desta reforma tosca.
Estamos vendo os bons sendo ocultados pela escuridão e os mal intencionados garantindo os holofotes da vaidade e hipocrisia.
Mas continuamos na luta, e não vamos parar.

Ismael AlleyCat
Designer
Equipe Cirão Carioca


Gostou? Compartilhe!