Ciristas emitem nota de repúdio a Tabata Amaral

Gostou? Compartilhe!

A decisão da deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) de votar a favor da Reforma da Previdência não repercutiu bem nas redes sociais. Principalmente entre um grupo especifico de seus seguidores: os ciristas.

O grupo de eleitores de Ciro Gomes (PDT) haviam adotado a Tabata Amaral como peça importante para a implementação do Projeto Nacional-Desenvolvimentista defendido por Ciro. Inclusive passando a defender a deputada de ataques provindos de outros setores da esquerda. Tabata estava constantemente sendo acusada de defender um receituário liberal e de obedecer ordens de setores do Mercado Financeiro, via o movimento a qual ela faz parte: o Acredito.

A par das acusações, ciristas de todo Brasil vinham defendendo a deputada. Porém, uma grande decepção se abateu no grupo quando a deputada, obedecendo ordens vindas do seu movimento, votou a favor da Reforma da Previdência, considerada por ciristas, PDT e o próprio Ciro como penosa aos trabalhadores mais pobres. O PDT havia fechado questão de votar contra a Reforma da Previdência, por conta do partido ter uma proposta própria, conjugada com uma reforma tributária e discussão acerca do pacto federativo.

Na própria noite de quarta-feira (10/07), a Rede Ciro, composta por diversas lideranças, paginas e influencers ciristas, emitiu uma nota na qual afirmam que ” Tabata Amaral era sim uma esperança de renovação na política. Porém, quando ela ou qualquer outro parlamentar ligado ao PDT e/ou a Ciro opta por votar a favor desta reforma, obedecendo ordens de um movimento nebuloso, ela trai todos aqueles que nela depositaram sua esperança e confiança. A começar por Ciro Gomes, que a tratou como “joia”, joia esta que infelizmente demonstrou ter seu coração intoxicado ideologicamente. Intoxicado pelos mesmos agentes de um Mercado que por décadas perpetua desigualdade e subdesenvolvimento no Brasil.”

Ao comentar sobre os movimentos ditos “apartidários” que propõem pagamento de bolsas e treinamento político para “renovar” a política, afirma a rede:
O movimento a qual ela se filia, ACREDITO, assim como outros, como o RENOVABR, no quais não se sabe exatamente quem são seus dirigentes, quem manda realmente, quem do mercado financeiro os financia, tão pouco os seus reais interesses, se mostram um novo desafio e ameaça à democracia brasileira. O Mercado percebendo o desgaste de seus grupos políticos de estimação, procuram agora formar seus próprios quadros políticos. Não buscam mais aliança com as elites políticas existentes, mas buscam formar uma nova militância, uma nova elite política, jovem, que consiga dialogar e iludir o povo brasileiro, vendendo o venenoso ideário pró-mercado, como se fosse algo bom para nossa população. Vendem uma mentira como verdade, e para isso precisam de seus agentes de marketing.

O filósofo Gustavo Castañon, considerado uma das referencias entre os ciristas, escreveu em suas redes um texto na qual deseja boa sorte à deputada e diz que: ” Acredito que não fez pelo dinheiro de emendas. Há muitos dinheiros no mundo. Certamente não fez para tornar o Brasil mais inclusivo, como afirmou no seu vídeo. Essa afirmação é uma vergonha. Ela poderia ter dito que era pelo equilíbrio fiscal, para o Brasil voltar a crescer, afinal há muitos retardados que acreditam que essa reforma que passou, é pra isso. Mas não. Ela quis escarnecer do PDT. Essa reforma não ataca privilégio nenhum. Ataca os miseráveis.”

Internamente, o PDT confabula se leva a ferro a ideia de expulsão dos 7 deputados federais do prtido que votarão a favor da Reforma da Previdência.


Integra da Nota Oficial:

[NOTA OFICIAL] Nós, da REDE CIRO, somos um grupo de brasileiros que, preocupados com seu país, espontaneamente, se juntaram para defender um projeto nacional-desenvolvimentista para a nossa nação. Nós acreditamos em um Brasil melhor e vimos no projeto capitaneado por Ciro Gomes uma esperança. Um projeto que aposta no brasileiro, aposta na educação, na Indústria Nacional, um projeto que aposta em um futuro diferente para o nosso povo. Aposta no BRASIL. Porém sabemos que o nosso país, historicamente, é colocado no contexto geopolítico como uma nação subserviente a interesse de outras potências e, modernamente, a interesses do Capital Financeiro.

A atual Reforma da Previdência nada mais é de que um mecanismo institucional de garantia de pagamento de juros e serviços da dívida pública para uma classe rentista, alojada em bancos, que não busca os interesses nacionais, mas apenas busca interesses privados.

A lógica da Reforma da Previdência é uma: que o trabalhador morra antes de aposentar e assim o Estado, com menos esse “gasto”, garanta o pagamento de juros e serviços da dívida pública. Tal fato se evidencia quando percebemos que o atual governo ao invés de fazer uma discussão acerca da reforma tributária buscando um sistema com maior progressividade, com os mais pobres pagando menos tributos e os mais ricos pagando mais, melhorando a sua arrecadação, se propõe uma discussão da Reforma da Previdência, tirando da morte de trabalhadores e aposentados o dinheiro para cobrir o rombo do pagamento de juros ao setor rentista. Embora o projeto original do governo tenha sofrido algumas alterações, ele continua demasiadamente penoso ao trabalhador, com diversos privilégios mantidos.

Temos um projeto de país, termos um projeto próprio de reforma tributária e reforma previdenciária, que beneficiem o povo brasileiro. Por conta disto, o Partido Democrático Trabalhista e Ciro Gomes optaram por fechar questão para que todos os parlamentares ligados ao PDT votassem contra a atual proposta de Reforma da Previdenciária. Não que o atual sistema Previdenciário não necessite de reformas, aliás defendemos uma agenda de reformas para o país. Todavia, o que está sendo proposto agora é demasiadamente brutal para os mais pobres, de forma desnecessária, quando nós temos diversos privilégios a serem extintos, um sistema de pagamento de juros e serviços da dívida para o mercado financeiro intacto e diversos incentivos fiscais para um grupo específico de privilegiados.

Votar contra a reforma da Previdência é marcar posição. É dar uma indicação ao trabalhador brasileiro de que o PDT, Ciro Gomes e todos aqueles que lutam por projeto nacional-desenvolvimentista estão do lado do Povo. Portanto, qualquer parlamentar que vote a favor dessa reforma está claramente contra esse projeto de país.

Tabata Amaral era sim uma esperança de renovação na política. Porém, quando ela ou qualquer outro parlamentar ligado ao PDT e/ou a Ciro opta por votar a favor desta reforma, obedecendo ordens de um movimento nebuloso, ela trai todos aqueles que nela depositaram sua esperança e confiança. A começar por Ciro Gomes, que a tratou como “joia”, joia esta que infelizmente demonstrou ter seu coração intoxicado ideologicamente. Intoxicado pelos mesmos agentes de um Mercado que por décadas perpetua desigualdade e subdesenvolvimento no Brasil.

O movimento a qual ela se filia, ACREDITO, assim como outros, como o RENOVABR, no quais não se sabe exatamente quem são seus dirigentes, quem manda realmente, quem do mercado financeiro os financia, tão pouco os seus reais interesses, se mostram um novo desafio e ameaça à democracia brasileira. O Mercado percebendo o desgaste de seus grupos políticos de estimação, procuram agora formar seus próprios quadros políticos. Não buscam mais aliança com as elites políticas existentes, mas buscam formar uma nova militância, uma nova elite política, jovem, que consiga dialogar e iludir o povo brasileiro, vendendo o venenoso ideário pró-mercado, como se fosse algo bom para nossa população. Vendem uma mentira como verdade, e para isso precisam de seus agentes de marketing.

No fundo permanecemos numa guerra histórica pelo nosso desenvolvimento, nossa busca para sermos uma nação soberana, independente e próspera. Agentes externos continuam a se utilizar de velhas armas, armas de tempos coloniais, recrutando locais para o seu jogo sujo. Hoje o que foi feito pelos deputados traidores é apenas um trecho de uma longa história.

Mas por certo, Tabatas passam… Brizolas, Getulios, Darcys, ficam! A luta permanece.

Aos sociais liberais… Loucura loucura… Agora é guerra!

Ao povo brasileiro, nossa luta incansável.

“Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil.”

 


Gostou? Compartilhe!