MP arquiva Denúncia contra Lupi

Gostou? Compartilhe!

O Ministério Público Federal, através da Procuradoria do Distrito Federal, determinou o arquivamento de denúncia de um dirigente da empreiteira Odebrecht que havia afirmado, em delação premiada, que o presidente Nacional do PDT, Carlos Lupi, e o Tesoureiro Nacional da legenda, Marcelo Panella, teriam solicitado ajuda para as campanhas de Osmar Dias ao governo do Paraná em 2014. O arquivamento, de acordo com o Ministério Público, foi solicitado pelo fato de o acusador não ter apresentado provas à denúncia. O caso foi amplamente divulgado pela imprensa em 2016.

O despacho assinado pelo Procurador da República Wellington Oliveira, dá conta de que não há precisão ou documentos que comprovem qualquer tipo de pedido ou entrega de valores à Carlos Lupi e Marcelo Panella, como afirmado pelo executivo em delação premiada.

“Isso prova que jamais fiz qualquer pedido para empresários de dinheiro para caixa 2 de campanha ou qualquer outro benefício monetário. Demostra também que a delação premiada se transformou em instrumento de criminosos que usam esse tipo de ferramenta para tentar se livrar de seus crimes, atacando a honra dos outros”, afirmou Lupi, complementado que já está tomando todas as medidas necessárias para processar criminalmente o ex-executivo da empreiteira.

À época, o assunto ganhou repercussão nacional em toda a imprensa brasileira. Lupi também disse que analisa com seus advogados uma forma de reparação através de um direito de resposta aos veículos que divulgaram a delação do colaborador da Odebrecht.

“Estávamos em 2016, em pleno processo de golpe da presidenta Dilma, e os veículos divulgavam com grande alarde essas delações que atacavam os apoiadores de Dilma. Tudo para manter um ar de normalidade constitucional e tentar demonstrar, através do que criminosos falavam à Justiça, que havia corrupção em todas as esferas do Governo. Mas a verdade sempre aparece. Agora, quero saber na imprensa como será reparado esse dano à imagem do partido e dos companheiros”, comentou Lupi.

William Bonner citou Lupi em entrevista com o, à época, candidato a presidencia, Ciro Gomes, acusando Lupi de ser réu 

O presidente do PDT, Carlos Lupi, foi o foco da entrevista do Jornal Nacional,da Rede Globo,com o candidato à Presidência pelo partido, Ciro Gomes. O apresentador William Bonner citou um processo em que Lupi é réu e Ciro confrontou a afirmação. “Carlos Lupi tem minha confiança cega. Réu com certeza ele não é”, disse Ciro.

William Bonner na entrevista citou supostas acusações contra o presidente Calos Lupi (PDT) que poderiam denotar investigação criminal por corrupção. Porém Lupi não era réu em nenhum desses processos citados, ou seja, ele nem havia chegado a ser denunciado pelo  Ministério Público. No contexto apresentado por Bonner, Ciro acertou ao afirmar que Lupi não é réu por casos de corrupção.


Gostou? Compartilhe!