Política Econômica Desastrosa – Rombo das contas externas quadruplica em outubro

Gostou? Compartilhe!

Pior resultado desde 2014; no ano, déficit já é US$ 13 bilhões maior.

As contas externas registraram saldo negativo de US$ 7,874 bilhões, em outubro, o maior déficit para o mês desde 2014, em plenas eleições, quando ficou em US$ 9,305 bilhões. Os dados foram divulgados pelo Banco Central (BC). Em outubro do ano passado o déficit foi de US$ 1,964 bilhão.

De janeiro a outubro, o déficit em transações correntes, compras e vendas de mercadorias e serviços e transferências de renda do Brasil com outros países, chegou a US$ 45,657 bilhões, contra US$ 32,372 bilhões em igual período de 2018.

“O incremento no déficit decorreu, fundamentalmente, da redução no saldo positivo da balança comercial de bens, de US$ 5,3 bilhões [em outubro de 2018] para US$ 490 milhões [no mês passado]”, diz relatório do BC.

A remessa de lucros e dividendos e os pagamentos de juros e salários (conta renda primária) ficou negativa em US$ 4,856 bilhões no mês, e em US$ 46,443 bilhões de janeiro a outubro.

A balança comercial (exportações e importações de mercadorias) acumula no ano, até outubro, superávit de US$ 29,145 bilhões, ante US$ 43,493 bilhões no mesmo período de 2018.

Com a queda da cotação do real frente ao dólar, as despesas de brasileiros em viagem ao exterior totalizaram US$ 1,506 bilhão, resultado menor do que em igual mês de 2018, de US$ 1,603 bilhão. Ao serem consideradas as receitas de estrangeiros no Brasil e as despesas dos brasileiros no exterior, a conta de viagens registrou déficit de US$ 1,063 bilhão, em outubro, e de US$ 9,878 bilhões, de janeiro até o mês passado.

Em outubro, o investimento direto no país (IDP) chegou a US$ 6,815 bilhões e acumulou US$ 62,126 bilhões, em dez meses, menor que em outubro de 2018 (US$ 8,418 bilhões) mas ainda superior ao acumulado no ano (US$ 60,789 bilhões no ano passado)

Com informações Monitor Digital


Gostou? Compartilhe!