Crescimento das vendas de Natal: fake ou news ?

Gostou? Compartilhe!

Mais que um discussão sobre faturamento, tom político toma conta da divulgação dos números nos shoppings.

O anúncio de que as vendas nos shopping centers haviam crescido 9,5% neste Natal em relação a 2018, feito pela Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), provocou contestação das lojas menores. A Associação Brasileira dos Lojistas Satélites (Ablos) divulgou nota no sábado afirmando não haver base para sustentar tais dados de crescimento.

Por trás das divergências está mais do que uma discussão em torno do faturamento, em cima do qual as lojas remuneram os shoppings. Está também em jogo o clima político, com o governo divulgando o que seriam números positivos para começar 2020 com otimismo.

O presidente da Ablos, Tito Bessa Júnior, foi direto: “A pesquisa da Alshop é falsa, é fake news. Ela está gerando desconforto e revolta entre os lojistas”, afirmou em entrevista à revista Época. Tito, que preside a rede de lojas de moda TNG, completou: “Nós nos preparamos para termos um Natal melhor do que nos anos anteriores, mas isso não aconteceu, infelizmente.”

De acordo com a Ablos, uma sondagem feita com seus associados aponta que 70% disseram que as vendas de Natal de 2019 foram iguais ou piores do que as de 2018, e só 30% afirmaram que as vendas melhoraram.

A Alshop, que afirma ter pesquisado 30 mil dos 112 mil lojistas de shoppings, de 400 redes de varejo, mantém os números divulgados, mas admitiu que o crescimento é nominal, ou seja, não leva em conta a inflação de 2019.

Se deflacionado pelo IPCA registrado entre novembro de 2018 e novembro deste ano (ainda não foi divulgado o resultado de dezembro), de 3,27%, os 9,5% cairiam para 6,23% reais. Se o índice utilizado for o IGP-M, que fechou o ano em 7,30%, a alta das vendas nos shoppings seria de 2,2%.

O presidente da Alshop, Nabil Sahyoun, nega uso político dos dados. “Não tenho posicionamento. Sou a favor de todos os governos. Lula, Dilma, Temer. A gente não toma partidos”, disse à Folha de S.Paulo. Sahyoun admite ter interlocução com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e que esteve três vezes com o presidente da República, Jair Bolsonaro.

Fundada em dezembro de 2018 por um grupo de empresários do varejo, a Ablos reúne os chamados lojistas satélites, que são responsáveis por 60% das lojas de shoppings brasileiras, contrapondo-se às grandes varejistas denominadas âncoras. A Associação afirma ter 100 redes associadas.

Com informações Monitor Digital


Gostou? Compartilhe!