Apoio a golpe pode gerar impeachment de Bolsonaro

Gostou? Compartilhe!

Para jornal espanhol, empresários não ligam para democracia enquanto estiverem lucrando.

O ministro do STF Celso de Mello disse que, “se confirmada”, a divulgação de vídeo pelo presidente Jair Bolsonaro convocando manifestação contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal é desrespeito à Constituição e significa “incidir em crime de responsabilidade”.

Celso de Mello, assim como outros ministros do STF, parlamentares e representantes da sociedade civil reagiram ao que o jornal espanhol El País classificou de golpe de estado em marcha. Segundo a publicação, “o motim de uma parte da Polícia Militar do Estado do Ceará e os disparos realizados no dia 19 de fevereiro contra o senador licenciado Cid Gomes, do PDT, compõem a cena explícita de um golpe de estado que está acontecendo dentro da anormalidade”.

O artigo, escrito pela jornalista brasileira Eliane Brum, ainda aborda a pouca importância dada por empresários à democracia “sempre que seus negócios sigam dando benefícios”. “Estes empresários são herdeiros morais daqueles empresários que apoiaram e se beneficiaram da ditadura militar (1964-1985) se não são os mesmos”, aponta.

A Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD) divulgou nota em que ressalta que o ato representa um atentado contra a Constituição e o livre exercício dos poderes constituídos, o que configura crime de responsabilidade conforme previsto no art. 85 da Carta.

Celso de Mello, decano do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou, em nota, que a atitude de Bolsonaro “revela a face sombria de um presidente”. Os ex-presidentes Lula e Fernando Henrique fizeram um chamado ao Congresso e à sociedade brasileira para enfrentar as ações contra a democracia.

Com informações Monitor Digital


Gostou? Compartilhe!