CADÊ A ECONOMIA PROMETIDA ? PREVIDÊNCIA APRESENTA ROMBO DE 318 BILHÕES EM 2019.

Gostou? Compartilhe!


Em 23 de outubro de 2017 o então relator da CPI da Previdência, o senador Hélio José (Pros-DF), apresentou o relatório final da comissão, que investigou as contas de seguro social do país e afirmou categoricamente que não havia déficit na previdência, o relatório foi aprovado por unanimidade. Menos de 3 anos depois o que parecia impossível aconteceu, a previdência apresentou o maior rombo de sua história, valor de 318 bilhões, mesmo depois da reforma que prometia estancar a sangria.

Quem não lembra do ministro da economia Paulo Guedes dizendo que após a reforma o Brasil economizaria apenas em 6 meses 60 bilhões? Pois é ela não veio, mas, quem não faltou foi o “rombo” que é o maior da história do país, segundo os números maquiados pelo governo, em 2019 o “déficit” do regime dos funcionários públicos subiu 14%, ritmo maior que a alta dos 3 sistemas juntos.

Segundo o jornal o Globo, os regimes de Previdência do país fecharam 2019 com um rombo total de R$ 318,4 bilhões, alta de 10% em relação ao ano anterior, quando o “déficit” havia ficado em R$ 289,4 bilhões. O montante corresponde à soma dos resultados registrados nos sistemas de aposentadorias de trabalhadores do setor privado, servidores públicos e militares. O número é o maior da série histórica, desde que inventaram a farsa do rombo da previdência. Os dados consolidados foram divulgados nesta quinta-feira pelo Tesouro Nacional.

O argumento do ministro da economia e parte da imprensa era de que a reforma iria acabar com privilégios, atacando os super salários de servidores públicos, não foi o que aconteceu, pois o resultado do regime dos servidores públicos da União. Em 2019, registrou um déficit de R$ 53,090 bilhões, alta de 14,3% em relação ao do ano anterior (R$ 46,5 bilhões).O ritmo de crescimento é maior que o dos três regimes de previdência somados, segundo o governo.

Outro setor que supostamente causou grande impacto foi o regime dos militares, onde o rombo chegou a R$ 47 bilhões, “avanço” de 7,2% frente ao ano anterior.

É fato conhecido pela sociedade que a CPI do senado já provou que não existe rombo ou déficit nas contas da previdência, o que existe é um falso mecanismo que prioriza o pagamento da dívida do país com o mercado e a DRU (Desvinculação de Receita da União) que tira recursos da previdência, causando descontrole dos recursos que deveriam ser exclusivo para o pagamento de benefícios e aposentadoria, caso os recursos fossem mantidos apenas para seu destino original o regime previdenciário apresentaria superávit, é necessário lembrar que a não cobrança de devedores causa um impacto de mais de 1 trilhão aos cofres públicos, tal fato é tão verdadeiro que sonegadores disfarçados de empresários como Luciano Hang, Flávio Rocha e Paulo Skaff apoiaram abertamente a reforma da previdência que perdoou a dívida desses sonegadores e jogou a conta para os mais pobres.

Texto: Pedro Oliveira
Edição: Ana Fernandes
Informações: Jornal O Globo

Com informações Noticiário Político Nacional 


Gostou? Compartilhe!