ERRO FATAL: AO DESAFIAR O CONGRESSO E STF, BOLSONARO SE APROXIMA DO IMPEACHMENT !

Gostou? Compartilhe!

 

O presidente Jair Bolsonaro ultrapassou todos os limites da democracia e do bom senso, dessa vez em mais uma atitude de afronta a constituição e ao cargo que ocupa, Bolsonaro disparou do próprio celular, pelo WhatsApp, um vídeo com uma convocação para as manifestações de 15 de março, organizadas por movimentos de extrema direita para defender o governo e protestar contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal (STF).

O clima que já não era tão bom desde que o jornal o Globo, divulgou trecho das falas do General Augusto Heleno, em que chamava congressistas de chantagistas, azedou de vez, nunca Bolsonaro esteve tão próximo de sofrer a abertura de um processo de impeachment como agora depois de compartilhar um vídeo convocando manifestações em defesa do governo e contra os ”políticos de sempre”. A notícia revelada pela jornalista Vera Magalhães caiu como uma bomba no mundo político e pode ter o poder de abalar completamente a relação entre a presidência e o congresso nacional.

O artigo 85 da Constituição Federal não deixa margem para outra interpretação, a atitude Bolsonaro é um claro cometimento de crime de responsabilidade prevista na lei 1.079, o texto da lei é claro, note que no Art. 4º consideram-se crimes de responsabilidade os atos do Presidente da República que atentarem contra a Constituição Federal, e, especialmente, contra: II – O livre exercício do Poder Legislativo e do Poder Judiciário.

Ao compartilhar um vídeo convocando um ato contra o congresso nacional e seus representantes Bolsonaro atenta contra o livre exercício do Poder Legislativo, pois coloca a população contra os deputados e senadores, causando revolta contra o congresso nacional, a manifestação prevista para o dia 15/03 tem como uma das pautas atentar contra o Supremo Tribunal Federal (STF) o que também é crime no mesmo a Artigo da lei 1.079, Portanto, não cabe mais ao presidente da câmara se negar a aceitar qualquer pedido nesse sentido, visto que o crime está caracterizado, Bolsonaro já atentou contra a constituição por no mínimo umas 5 vezes e todas o presidente da câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ) em nome de uma suposta estabilidade politica fez vistas grossas, dessa vez é muito diferente, estamos diante de uma crise institucional como nunca vista antes ou o congresso dar um basta agora nas loucuras de Bolsonaro que atentam contra a democracia ou logo não teremos nenhuma democracia para defender.

JUDICIÁRIO: CELSO DE MELLO APONTA CRIME DE RESPONSABILIDADE

O ministro do STF Celso de Mello publicou nota onde aponta o crime de responsabilidade cometido por Bolsonaro, “Essa gravíssima conclamação, se realmente confirmada, revela a face sombria de um presidente da República que desconhece o valor da ordem constitucional, que ignora o sentido fundamental da separação de poderes, que demonstra uma visão indigna de quem não está à altura do altíssimo cargo que exerce e cujo ato, de inequívoca hostilidade aos demais Poderes da República, traduz gesto de ominoso desapreço e de inaceitável degradação do princípio democrático!!! O presidente da República, qualquer que ele seja, embora possa muito, não pode tudo, pois lhe é vedado, sob pena de incidir em crime de responsabilidade, transgredir a supremacia político-jurídica da Constituição e das leis da República!

CONGRESSO: LÍDER DA OPOSIÇÃO QUER REUNIÃO DE EMERGÊNCIA COM LÍDERES.

A oposição reagiu ao novo escândalo, O líder da Oposição na Câmara, Alessandro Molon, do PSB do Rio de Janeiro, tenta convocar ainda para esta semana uma reunião com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre, e dez outros líderes partidários para discutir o teor das mensagens enviadas por Jair Bolsonaro incitando seguidores contra o Congresso.

“Temos que parar Bolsonaro! Basta! As forças democráticas deste país têm que se unir agora. Já! É inadiável uma reunião de forças contra esse poder autoritário. Ou defendemos a democracia agora ou não teremos mais nada para defender em breve. Ao não encontrar soluções para o país, ao se sentir sozinho, isolado e frágil, Bolsonaro apela ao que todos temíamos: a um ato autoritário contra a própria democracia. Não dá mais. Esses absurdos, exageros e atropelos têm que parar agora”, afirmou.

Vivemos uma das maiores escaladas do autoritarismo e não cabe ao congresso nesse momento o papel de se acovardar, afinal estamos diante de homens ou ratos? Parlamentares sérios ou calhordas que aceitarão esse tipo de afronta a constituição diante dos olhos de toda uma sociedade perplexa com tamanho descaramento de um projeto de ditador?

Texto: Pedro Oliveira

Edição: Ana Fernandes

Informações: Jornal o globo, Revista Isto É e o Estadão.

Com informações Noticiário Político Nacional


Gostou? Compartilhe!