Privatizar 50% da capacidade de refino não é "gestão de portfólio", é suicídio

Gostou? Compartilhe!

Há tempos, AEPET alerta para estratégia suicida da Petrobrás

Era evidente, desde sempre, mas agora com o preço do petróleo em torno de US$ 30 por barril está na cara que a “gestão de portfólio” em qualquer grande petrolífera precisa considerar sua capacidade de resistir aos preços moderados ou baixos do petróleo no mercado internacional. Para isso é vital ter Refino, Transporte, Comercialização, Distribuição e Petroquímica em capacidade compatível com a produção de petróleo cru.

Conheça Nota Técnica e dois artigos do Felipe Coutinho, Presidente da AEPET.

Importância do Refino, do Transporte e da Distribuição do Petróleo e de seus Derivados para o Brasil e a Petrobrás


https://www.aepet.org.br/w3/index.php/conteudo-geral/item/2873-importancia-do-refino-do-transporte-e-da-distribuicao-do-petroleo-e-de-seus-derivados-para-o-brasil-e-a-petrobras

Castello Branco usa a falácia da “gestão de portifólio” para justificar privatização de ativos estratégicos e rentáveis, assim expõe a Petrobrás a riscos desnecessários e prejudica a geração de caixa

https://aepet.org.br/w3/index.php/conteudo-geral/item/4055-castello-branco-usa-a-falacia-da-gestao-de-portifolio-para-justificar-privatizacao-de-ativos-estrategicos-e-rentaveis-assim-expoe-a-petrobras-a-riscos-desnecessarios-e-prejudica-a-geracao-de-caixa

Castello Branco desqualifica segmentos de Refino e Gás Natural da Petrobrás com argumentos falaciosos

https://www.aepet.org.br/w3/index.php/conteudo-geral/item/4108-castello-branco-desqualifica-segmentos-de-refino-e-gas-natural-da-petrobras-com-argumentos-falaciosos

Com informações AEPET


Gostou? Compartilhe!