BRASIL PODE TER MAIS DE 15 MIL MORTES POR CORONAVÍRUS NÃO CONTABILIZADAS.

Gostou? Compartilhe!

 

O portal de notícias Uol revelou dados assustadores, porém dentro da realidade defendida pela maioria dos especialistas, o Brasil tem mais mortes que os dados oficiais apresentaram até o momento.

Alguns fatores levam a essa conclusão, a falta de testes, sub notificação dos casos e a demora em diagnosticar a verdadeira causa das mortes, em reportagem recente o Jornal Nacional, mostrou que pacientes com suspeitas de covid-19 estavam tendo seu atestado de óbito com descrições diferentes da recomendação da OMS, que pede que nesses casos seja atestado como suspeita de covid-19, ao invés disso muitos hospitais estão atestando como pneumonia ou infecções.

Com base nesses cenários um grupo, que reúne pesquisadores de universidades brasileiras e estrangeiras, calcula que o número pode ser até nove vezes maior que os dados oficiais. O levantamento levou em conta a demora entre as ocorrências das mortes e a entrada delas nas estatísticas do governo.

A reportagem do Uol, informa que o estudo foi feito com dados disponibilizados pelo Ministério da Saúde até a última quarta-feira (15), quando o país registrava 1.736 mortes. Com base neste número e o cenário levantado, o país já poderia ter 15.600 mortes, de acordo com o cálculo feito pelo UOL usando a análise do observatório, o cenário que nós aqui do blog usamos, foi usando a demora de até 20 dias para as mortes serem contabilizadas.

Mas, clicando Aqui você tem acesso a reportagem completa do Uol com todos os cenários.

De acordo com o levantamento do observatório, 53% das mortes por covid-19 no Brasil demoram dez dias ou mais para serem notificadas e constarem em boletins. “Ou seja, menos da metade dos óbitos é confirmada antes de dez dias da data de óbito“, traz a análise.

Em um cenário em que mortes por coronavírus demoram até 20 dias para serem contabilizadas, o estudo projeta que o país teria pelo menos 801% mais de óbitos, ou seja, cerca de nove vezes o dados oficial. “Isto é, para cada morte notificada teríamos outras oito mortes a mais ainda não registradas.” Assim, o país poderia ter já mais de 15.648 mortes.

Um fato que nada tem a ver com o estudo, mas indiretamente revela que o estudo está correto foi um documento enviado pelo exército brasileiro as prefeituras do Rio de Janeiro solicitando informações sobre a quantidade de cemitérios, disponibilidade de sepulturas e capacidade de enterros diários.

Ao juntarmos esses fatos não tão distantes e ligados pelo mesmo inimigo, concluímos a situação é de fato bem pior que os dados oficiais faz supor e que a população brasileira ainda carece de informações mínimas antes de um relaxamento do isolamento social, tais fatos pressupõe que é cedo para se imaginar que a população possa voltar as ruas e levarmos ao cenário mais alarmante que o atual.


Gostou? Compartilhe!