BOLSONARO É ALVO DE 205 REPRESENTAÇÕES NO TCU, IRREGULARIDADES CHEGAM A 100 MILHÕES.

Gostou? Compartilhe!

 

Enquanto o Brasil continua preocupado com a pandemia que já matou mais de 78 mil pessoas no país, o governo Bolsonaro é alvo de 205 representações junto ao TCU, o órgão ainda aponta atual governo como responsável por 55 contratos com fortes indícios de fraudes e irregularidades que somam 100 milhões só em 2020.

Segundo um relatório do Tribunal de Contas da União o governo de Jair Bolsonaro, manteve e renovou contratos que chegam a 100 milhões.

Os indícios de fraude foram encontrados em 11 ministérios e 17 órgãos do governo, o TCU aponta que nem todos os contratos foram assinados no governo Bolsonaro, mas receberam aditivos ou foram mantidos em vigor pelo atual governo. O relatório apontou que 100 milhões estavam vigentes até março desse ano.

O relatório do TCU apontou ainda que nenhum dos 55 contratos era possível calcular o valor real dos serviços prestados, 83% dos contratos não possui detalhamento dos serviços que foram contratados, 94% não possui avaliação de preços, “ Ou seja os preços praticados não tinham comparabilidade com a vida real”.

Outro detalhe que chamou a atenção dos técnicos do TCU, foi o fato de que uma das empresas contratas para prestar serviços por um ano, consumiu o valor do contrato em apenas 2 meses, auditores apontam que isso “pode indicar que não ocorreu prestação de serviços, ou que podem ter sido prestado serviços em volume inferior ao volume atestado e pago, o que caracteriza superfaturamento de quantitativo”

O governo Bolsonaro é alvo de 205 representações junto ao TCU, foram 80 em 2019 e até o dia 17 de julho deste ano foram 125, segundo apurações da CNN Brasil.

Uma delas diz respeito a uma investigação do Ministério Público que atua junto ao Tribunal de Contas da União (TCU) que pretende apurar o gasto de R$ 1,5 milhão pelo Ministério da Defesa para ampliar a produção de cloroquina, segundo o MP-TCU o exército produziu estoque suficiente para 18 anos, os procuradores querem saber por que o governo pagou esse ano R$ 1.304 pelo quilo da matéria prima da cloroquina, seis vezes o preço pago pelo Ministério da Saúde em contrato assinado em maio de 2019, quando o governo federal desembolsou R$ 219,98 por quilo.

O MP-TCU afirma ainda que a produção da cloroquina significa “desperdício de recurso público” e pede que os responsáveis sejam penalizados.

É no mínimo curioso como em tão pouco tempo o governo Bolsonaro conseguiu chamar a atenção do MP-TCU por tantas vezes, parece que a gestão técnica do governo passa mais por um critério renovar contratos com fraude e esbanjar em gastos como no caso da cloroquina, se mexer mais a fundo muito coisa pode ainda vir a tona.


Gostou? Compartilhe!