SÉRGIO MORO E DALLAGNOL DESTRUÍRAM 145 MIL EMPREGOS NA ODEBRECHT!

Gostou? Compartilhe!

A Odebrecht dará início em breve ao maior processo de recuperação judicial da história do Brasil. Ela tentará resgatar um conglomerado que, durante décadas, foi sinônimo de riqueza e influência no país, mas que, nos últimos anos, passou a ser destruída pela operação lava jato.

A empresa, que chegou a ter mais de 190 mil funcionários em 2013, foi dizimada pela operação, hoje temos a certeza de que tudo não passou de puro espetáculo político.

Atualmente a reduziu Odebrecht o quadro em 155 mil vagas e empregam 45 mil, trabalhadores diretos e indiretos.

As acusações da Lava Jato de que a Odebrecht irrigava campanhas políticas do PT e de outros partidos, inclusive da oposição, foi um dos fatores que levou a destruição da reputação da empresa, recentemente foram reveladas cartas que desmentem a lava jato e reforça o caráter político da operação, em um trecho o ex-presidente da empresa Marcelo Odebrecht afirma aos advogados que o sistema de financiamento criado pela lava Jato nunca existiu e que o mesmo estava sendo pressionado a criar um relato.

“Não tínhamos um departamento de propina, nem muito menos este tipo de relação com o setor público”

Conversas publicadas pelo site the Intercept mostram que a operação tinha como alvo a prisão de políticos e orquestrava que empresas iam destruir, em uma das conversas é possível ver a preocupação dos procuradores em não investigar bancos, mas não tinham o menor pudor em destruir as empreiteiras.

A Odebrecht nesse caso é vítima da maior armação jurídico-político da história do Brasil e paga um preço caro, não só com a destruição de sua reputação, mas como de ativos e de empregos, graças a lava jato, pelo menos 155 mil famílias foram prejudicadas e perderam suas fontes de renda, mas isso, não pesa na consciência de pessoas como Dallagnol e Sérgio Moro, pessoas sem escrúpulos que são capazes de vender a própria mãe e filhos em troca de estarem no jogo do poder.


Gostou? Compartilhe!