STF IDENTIFICA EMPRESÁRIOS QUE DISPARARAM FAKE NEWS A FAVOR DA CAMPANHA DE BOLSONARO

Gostou? Compartilhe!


Ao que tudo indica a casa parece que começou a cair, não é segredo para ninguém que a campanha de Jair Bolsonaro se utilizou de espalhar fake News para atacar adversários e que por trás pode haver uma rede maior do que se imagina, o portal de notícias Uol, trouxe a tona parte da engrenagem da maquina de notícias falsas usadas pela campanha bolsonarista.

As empresas “Novo Brasil Empreendimentos Ltda” e “Raposo Fernandes Marketing Digital Ltda” Também são investigadas pela PGR, por fazer parte da organização criminosa que tenta desestabilizar a democracia no país com pedidos de intervenção militar.

De acordo com o uol que teve acesso ao o inquérito que apura os atos antidemocráticos, as empresas “Novo Brasil Empreendimentos Ltda.” e “Raposo Fernandes Marketing Digital Ltda” administraram uma rede de sites e páginas nas redes sociais com o intuito de disseminar fake News.


Ambas pertencem aos empresários Ernani Fernandes Barbosa e Thaís Raposo do Amaral Pinto Chaves, segundo a PGR, as empresas foram responsáveis por ataques e notícias distorcidas contra os adversários e a favor do então candidato a presidente Jair Bolsonaro em 2018.

Poucas semanas antes do segundo turno das eleições, a ONG norte-americana Avaaz, denunciou ao Facebook que existia uma rede de sites e páginas na rede social, criada com a intenção de propagar fake News, ao tomar conhecimento dos fatos o Facebook derrubou a rede com 68 páginas e 43 contas, as páginas alcançavam mais gente e conseguiam mais interações do que perfis de celebridades como o jogador de futebol Neymar e as cantoras Anitta e Madonna juntos, segundo reportagem do portal de notícias Uol.

A PGR também identificou que as empresas de Barbosa e Thaís já receberam 24 mil reais em verbas do ex-deputado federal Delegado Franceschini (PSL-PR) e 25 mil do PRTB, partido do vice-presidente Hamilton Mourão em dezembro de 2017. Em 27 de maio de 2018 já haviam denunciado a ligação de Jair Bolsonaro e do Delegado Franceschini (PSL-PR) com essa empresa na reportagem: DEPUTADO DELEGADO FRANCISCHINI USA RECURSO PÚBLICO PARA CONTRATAR SERVIÇO DE FAKES NEWS.

Aos poucos o STF colhe provas cabais de que houve o uso de disparos em massa e ampla divulgação de notícias falsas para favorecer a campanha presidencial de Jair Bolsonaro em 2018 e cada vez que se aproxima do elo de ligação, maior é expectativa do compartilhamento de provas com o TSE que poderá levar a cassação da chapa Bolsonaro e Mourão, fazendo finalmente justiça e pondo fim ao reinado de mentiras criados por essa organização criminosa.


Gostou? Compartilhe!