BRASIL PÓS-REFORMASDESEMPREGO EM ALTA E ROMBO DE R$ 891 BILHÕES

Gostou? Compartilhe!

As reformas tão comemoradas pela imprensa “séria” causaram o efeito contrario, para quem não lembra as trabalhistas e da previdência prometiam gerar empregos e acabar com os rombos nas contas públicas, o problema não foi só o discurso mentiroso, o pior ainda estava por vir. Os efeitos não só foram contrários como destruíram a economia brasileira, levando consigo o sonho da aposentadoria e direitos trabalhistas conquistados ao longo de anos.

Três anos depois da aprovação da reforma trabalhista efeito é contrário às expectativas que se fazia ao seu respeito, não se gerou emprego e os poucos que ainda existiam foram devastados pela coronavírus.

A previdência que prometia por em ordem a previdência, no ano passado surtiu um efeito negativo e a provocou o maior rombo de sua história, valor de 318 bilhões. Cadê a economia prometida? previdência apresenta rombo de 318 bilhões em 2019.

A reforma do teto de gastos prometeu que as contas ficariam em ordem logo nos 4 primeiros anos de sua existência, não é o que está acontecendo, a equipe econômica de Paulo Guedes reviu os cálculos e prevê um rombo fiscal de R$ 891,1 bilhões nas contas do setor público em 2020.

De acordo com a CNN Brasil a estimativa do déficit primário do setor público foi atualizada pelo Ministério da Economia nesta sexta-feira (4). Se confirmada, esse será o pior resultado da série histórica.

Para piorar a queda de 4,7% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020, não é real, pois, a nova projeção apresenta uma possível retração de 12,4% do PIB.

Ainda que se tente culpar o novo coronavírus, o auxílio emergencial no valor de R$ 600,00 não aliviou as coisas como se esperava, afinal a economia continua respirando nos aparelhos de UTI, mas continua.

Ainda assim a previsão mais otimista é de uma queda 9,7% pior que a expectativa de R$ 812,2 bilhões, divulgada em julho, ou seja, os efeitos do isolamento não foi fator determinante, mas o que mais chama a atenção é porque as reformas não surtiram efeito? A pandemia foi apenas algo fora da curva e antes da pandemia, já era possível ver o aumento da informalidade, as contas fora do eixo e que o governo não sabia o que fazer.

Bolsonaro e Guedes usarão sem dúvida alguma o efeito do coronavírus como desculpa para esconder que as reformas fracassaram, aliás, vale ressaltar que nada que foi feito pelos governos democráticos pós-ditadura.


Gostou? Compartilhe!