Preço do arroz subiu por falta de estoques do governo

Gostou? Compartilhe!

A política econômica ultra liberal adotada pelo Brasil nos últimos anos é responsável direta pela alta dos preços dos alimentos mais consumidos pela população, como arroz, feijão, milho ou soja.

Nos últimos dez anos, segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB), os estoques de arroz nos armazéns do governo caíram de 1 milhão de toneladas em 2010 para 21 mil toneladas em agosto desse ano.

Quedas de estoque semelhantes, ou até maiores, ocorreram com feijão, milho, soja, trigo e café.

No mundo inteiro, governos adotam a estocagem de alimentos para garantir o abastecimento e a segurança alimentar da população.

No Brasil, apesar do país ser um grande produtor de grãos, a política econômica de Paulo Guedes deixou o consumidor sujeito às flutuações do mercado, impactado mundialmente pela pandemia da Covid 19.

O resultado foi o grande aumento dos preços nos supermercados, atingindo em cheio os principais produtos da cesta básica típica do consumidor brasileiro.

Em alguns lugares, o preço do arroz quase triplicou.

Com isso, o próprio governo federal contribuiu decisivamente para trazer uma pressão inflacionária na economia do Brasil, atingindo diretamente toda população.

Com informações Monitor Nacional


Gostou? Compartilhe!