PIB per capita retrocede 8 anos

Gostou? Compartilhe!


Taxa de investimento aumentou em 2018, mas é 2º pior resultado desde 1995.

O IBGE reviu as contas do Produto Interno Bruto (PIB) de 2018, que chegou a R$ 7 trilhões, alta de 1,8% em relação a 2017. Essa revisão decorreu, principalmente, da incorporação de novos dados advindos da Pesquisa Anual de Serviços (PAS) e do Imposto de Renda.

O PIB per capita chegou a R$ 33.593,82, com alta de 1% em relação ao ano anterior, levando seu patamar a ficar próximo, em termos reais, ao observado de 2010.

A taxa de 1,8% em 2018 foi a segunda alta consecutiva do PIB, após a variação de 1,3%, em 2017. Essas altas foram insuficientes para reverter a queda acumulada no biênio 2015–2016, de 6,7%. O crescimento de 2018 foi metade da média mundial, que ficou em 3,6%.

A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) subiu 5,2%, depois de quatro anos seguidos de queda, e a taxa de investimento (15,1%) cresceu 0,5%, após alcançar em 2017 seu menor nível desde 1995. Ainda assim, é o segundo pior resultado em 23 anos.

A construção continua sendo o grupo de maior relevância entre os componentes da FBCF, mas sua representatividade diminuiu novamente em 2018, passando de 49,6% em 2017 para 45,3%.

A formação bruta de capital fixo do setor público abandonou a tendência de queda dos últimos três anos e passou de R$ 109,2 bilhões em 2017 para R$ 119,2 bilhões em 2018, registrando um crescimento, em termos nominais, de cerca de 9,1%. Este movimento foi influenciado especialmente pelo crescimento dos investimentos na esfera municipal.

Com informações Monitor Digital


Gostou? Compartilhe!