Energia de Furnas rende R$ 174 milhões para estados e municípios

Gostou? Compartilhe!

 

A energia gerada pelas 12 hidrelétricas de Furnas rendeu R$ 174 milhões em 2020 em Compensação Financeira pela Utilização de Recursos Hídricos (CFURH). Houve aumento de 16 % em relação a 2019, quando foram repassados R$ 145 milhões. O montante foi pago pela empresa à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que distribuiu o recurso às administrações estaduais e 106 municípios de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás, Mato Grosso, além de órgãos do Governo Federal. Sobre esse valor, 10% foram repassados à União, 65% aos municípios e 25% aos estados. Desde 2007, a companhia destinou mais de R$ 2 bilhões para a Aneel pelo uso de recursos hídricos para geração de energia em todo o Brasil.

Minas Gerais foi o estado que mais recebeu compensação financeira, R$ 61,21 milhões. Goiás ficou em segundo lugar (R$ 30,9 milhões), seguido de São Paulo (R$ 15,07 milhões), Rio de Janeiro (R$ 4,2 milhões) e Mato Grosso (R$ 1,9 milhões). Entre os 106 municípios beneficiados, Sacramento (R$ 9,2 milhões), em Minas Gerais, e Niquelândia (R$ 6,7 milhões), em Goiás, foram os que captaram as maiores quantias. As cidades mineiras Frutal (R$ 6,6 milhões) e Tupaciguara (R$ 6,4 milhões), Corumbaíba (R$ 6,1 milhões), em Goiás, Delfinópolis (4,5 milhões), em Minas Gerais, e Guaraci (R$ 4,1 milhões), em São Paulo, estão entre as seis primeiras do ranking.

O diretor de Regulação e Comercialização de Furnas, José Alves de Mello Franco, avalia que os recursos são essenciais para os estados e municípios, além de órgãos públicos. “Furnas manteve seu compromisso nas compensações financeiras por uso de recursos hídricos, o que fortalece a economia de cada região”, conclui.

Em 2020, a Agência Nacional de Águas (ANA) recebeu R$ 1,3 milhão em compensação financeira. Já o Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) ficou com, aproximadamente, R$ 6 milhões, e os Ministérios do Meio Ambiente e de Minas e Energia recolheram quase R$ 5 milhões cada. Estados e municípios somaram R$ 157 milhões.

As hidrelétricas da companhia geraram o total de 3,564 GW médios de energia no ano passado, oriundas das usinas de Furnas (MG), Batalha e Itumbiara (MG/GO), Funil e Simplício (RJ), Luiz Carlos Barreto de Carvalho e Marimbondo (SP/MG), Mascarenhas de Moraes (SP), Manso (MT), Porto Colômbia (MG/SP) e Serra da Mesa e Corumbá I (GO).

Usinas em parceria

Adicionalmente, Furnas possui participação acionária em usinas que, em 2020, pagaram R$ 191 milhões em compensações financeiras: Santo Antônio (R$ 103 milhões), em Rondônia; Teles Pires (R$ 42 milhões), entre Mato Grosso e Pará; Foz do Chapecó (R$ 15 milhões), entre Santa Catarina e Rio Grande do Sul; Peixe Angical (R$ 11 milhões), no Tocantins; Serra do Facão (R$ 4 milhões), em Goiás; Baguari (R$ 3, milhões), Retiro Baixo (R$ 1 milhão), em Minas Gerais e Três Irmãos (R$ 13 milhões), em São Paulo.

Com informações Monitor Mercantil


Gostou? Compartilhe!