Gasolina volta a subir na primeira quinzena de maio e chega a R$ 5,78

Gostou? Compartilhe!

 

Os primeiros 15 dias de maio indicam mais um período de alta no preço médio da gasolina no Brasil. Desde maio de 2020, o litro do combustível fica mais caro mês a mês, de acordo com o levantamento da ValeCard. Depois de ensaiar uma estabilização no último mês, o valor cobrado nos postos nesta primeira quinzena subiu 0,91% em relação a abril, com média de R$ 5,789.

Os dados mostram que as maiores altas foram registradas no Amapá (8,71%) e Piauí (3,51%). Por outro lado, os estados do Amazonas (-2,86%) e Sergipe (-0,50%) registraram as maiores quedas.

As capitais do Acre (R$ 6,182) e Rio de Janeiro (R$ 6,237) foram as que apresentaram maiores preços médios na primeira quinzena de maio. Já Florianópolis (R$ 5,200) e Salvador (R$ 5,267) registraram os menores valores.

Conforme o levantamento, em apenas dois Estados brasileiros (São Paulo e Mato Grosso) compensa abastecer o veículo com etanol – a opção só é vantajosa quando o litro do derivado da cana-de-açúcar custar 70% (ou menos) do que o litro da gasolina. No período, Pará (5,126) e Rio de Janeiro (R$ 5,080) registraram os maiores preços médios do etanol.

Já o preço do diesel subiu acima de 5% no início de maio após queda em abril, aponta levantamento da Ticket Log: o diesel comum avançou 5,17% na comparação com o fechamento de abril e o valor médio por litro foi de R$ 4,679. Já o tipo S-10 foi comercializado a R$ 4,740, após alta de 5,42%.

Os dois tipos de combustível voltaram a registrar aumento de preços em todas as regiões. Os postos do Sul, ainda que com os preços médios mais baratos, apresentaram as maiores altas, de 7,04% no valor médio por litro do diesel comum, e de 7,41% do diesel S-10. Os valores médios identificados na Região foram de R$ 4,350 e R$ 4,406, respectivamente.

No Norte, os postos comercializaram os combustíveis pelos valores médios mais altos. O tipo comum foi encontrado a R$ 4,906, e o tipo S-10 a R$ 4,979. Em relação aos aumentos, a região apresentou as menores taxas, de 3,41% para o diesel comum, e 4,10% para o diesel S-10.

No recorte entre os estados, o Acre segue como o estado com os valores médios mais altos. O diesel comum foi comercializado a R$ 5,632 nos postos, e o S-10 a R$ 5,534. Já os maiores aumentos de preços foram registrados em Santa Catarina, onde o tipo comum avançou 7,26% e foi encontrado a R$ 4,372, e o tipo S-10, a R$ 4,434, apresentou alta de 7,78%.

O Amapá foi o único estado do país a apresentar recuo nos preços do diesel comum. O combustível foi comercializado a R$ 5,046, após redução de 1,45%. Mas o diesel mais barato foi encontrado no Paraná, a R$ 4,298, mesmo após o segundo maior aumento do território nacional, de 7,16%. Os postos paranaenses também comercializaram o diesel S-10 com o menor preço médio, a R$ 4,354, e assim como no caso do tipo comum, com o segundo maior aumento na comparação com o fechamento de abril, de 7,64%.

Com informações Monitor Mercantil


Gostou? Compartilhe!