Ford fecha outra operação no Brasil e assume despesa bilionária

Gostou? Compartilhe!

A Ford Motor Co anunciou nesta última segunda-feira que seu braço de serviços financeiros, a Ford Credit, encerrará as operações no Brasil e na Argentina, assumindo uma dívida de até US$ 375 milhões (aproximadamente R$ 1,85 bilhão na cotação atual).

A Ford disse que espera que a maior parte dessas perdas, que incluem US$ 365 milhões (R$ 1,80 bi) relacionados a moeda estrangeira, sejam reconhecidas em 2021, embora o momento para a conclusão da paralisação seja incerto.

A empresa anunciou que pagaria cerca de US$ 10 milhões (R$ 49 milhões) em dinheiro para a demissão de funcionários.

No início deste mês, notícias veiculadas pela imprensa deram conta de que a Ford pagaria cerca de R$ 2,5 bilhões ao estado da Bahia após a decisão de fechar suas fábricas no Brasil.

Produção de peças vai até fim de novembro

A decisão de encerrar as operações das duas fábricas remanescentes no País foi anunciada em 11 de janeiro e tomou o mercado brasileiro de surpresa.

Com isso, a marca deixou imediatamente de produzir seus três automóveis nacionais: Ka, Ka Sedan e EcoSport, para oferecer exclusivamente veículos importados em nosso mercado.

O trio era fabricado na unidade de Camaçari (BA), que seguirá em operação até o fim de novembro para a produção de peças de reposição. O mesmo acontece com a unidade de Taubaté, responsável pela produção de motores e transmissões. Nas duas fábricas, a demissão de funcionários já está em curso – em março passado, inclusive.


A Ford tem, ainda, a fábrica da Troller em Horizonte (CE). A linha manterá a produção do utilitário 4×4 T4 até o fim deste ano, caso a oval azul não encontre um comprador antes disso.

Sem fábricas no país, a “nova Ford” também está reduzindo a sua rede de concessionárias, que até antes de 11 de janeiro tinha mais de 280 revendedores autorizados e cairá para aproximadamente 120.

Lançado recentemente no Brasil, o SUV Bronco Sport é o primeiro novo modelo dessa nova etapa

Com informações UOL


Gostou? Compartilhe!