Rússia estabelece o padrão ouro do rublo

Gostou? Compartilhe!

Diante do sequestro pela Casa Branca e UE de reservas cambiais russas em dólar e euros, a Rússia passou a anunciar medidas para preservar e aprofundar sua soberania econômica, entre elas, acaba de anunciar a vinculação do rublo ao ouro, estabelecendo valor fixo

“O Banco Central da Rússia retomou as compras de reservas em ouro mas, mais importante, estabeleceu regulamentação segundo a qual foi fixado o valor do rublo, segundo o qual, um grama de ouro passou a valer 5.000 rublos no período experimental de 28 de março a 30 de junho, levantando a possibilidade da Rússia retornar ao padrão ouro pela primeira vez em mais de um século”, escreve o colunista da RT, Vladimir Astapkovich.

“Se o país toma o próximo passo, como proposto durante esta semana, de vender suas commodities precificadas em rublos, estes movimentos combinados podem ter gigantescas implicações para o rublo, o dólar e a economia global”, escreve Astapkovich, ao abrir a entrevista para a RT com Ronan Manly, analista de metais preciosos da BullionStar, principal revendedora de metais preciosos de Cingapura.

“O que estamos vendo agora parece o nascimento de um novo sistema monetário multilateral apoiado em ouro e commodities”, afirma Ronan Manly que, na entrevista à RT, ustentou que ao se comprometer a comprar ouro de instituições de crédito a um preço fixo de 5.000 rublos por grama, de 28 de março até 30 de junho, o Banco Central da Rússia estabeleceu uma paridade fixa entre o rublo e o ouro. Seria a construção de um equilíbrio entre “a oferta e a demanda no mercado doméstico de metais preciosos”.

Isso representaria, diz Manly, “o começo do fim daquele sistema de 50 anos” da era do petrodólar, que “só foi possível graças ao contínuo uso mundial de dólares americanos” para o comércio de petróleo.Com essa paridade fixa entre o rublo e o ouro e a decisão de Moscou de aceitar pagamentos pelo fornecimento de gás russo apenas em rublos, o hidrocarboneto agora também está atrelado ao ouro através do rublo, de modo que a Rússia poderia começar a aceitar o ouro diretamente como pagamento por suas exportações de gás. Tal prática também poderia ser adotada para a venda de petróleo ou de qualquer outra matéria-prima.

“Os países gigantes do mundo com matérias-primas fortes, como a China e os países exportadores de petróleo, podem agora sentir que é hora de mudar para um sistema monetário novo e mais justo”, enfatizou.

Como o ouro é cotado em dólares, a paridade entre o rublo e o ouro estabeleceu um preço mínimo para a moeda russa em relação à moeda norte-americana, explicou o analista. Exemplo disso, esclareceu, é que no dia do anúncio do Banco Central, o rublo estava sendo negociado a cerca de 100 por dólar, mas desde então se fortaleceu e está se aproximando de 80 rublos por dólar.

Caro Leitor, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo.  Precisamos de sua contribuição para manter nosso jornalismo honesto e independente. Se você puder contribuir com qualquer valor que não te fará falta, nós agradecemos. A Chave PIX Agencia MBrasil é agenciabrasilmaior@gmail.com

De acordo com Manly, a exigência de Moscou de pagar em rublos pelas compras de gás russo funcionará como “estabilização e apoio”.

“Se a maior parte do sistema de comércio internacional começar a aceitar esses rublos para acordos de pagamento de commodities, isso pode levar o rublo russo a se tornar uma importante moeda mundial”, assevera.

Conforme o analista, diante do congelamento da maior parte das reservas da Rússia, que “deixou claro que os direitos de propriedade sobre as reservas cambiais podem não ser respeitados”, e no caso de que Moscou comece a aceitar o pagamento de petróleo em ouro, os maiores produtores mundiais de petróleo e gás natural, como Irã, China, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos e Catar, poderiam fazer o mesmo.

“Se o fim do dólar americano como referência e padrão mundial estiver próximo, todos esses países vão querer que suas moedas sejam beneficiárias de uma nova ordem monetária multilateral” e que adota medidas progressivas de estabilização monetária, concluiu.

Com informações Hora do Povo


Gostou? Compartilhe!