Preço da gasolina chega a quase R$ 9

Gostou? Compartilhe!

Aumentos garantem dividendos a acionistas da Petrobras.

O preço médio da gasolina comum no Brasil alcançou R$ 7,295 nesta semana, segundo o levantamento feito pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Mas o valor máximo cobrado ao consumidor chegou a R$ 8,999, na cidade de Tubarão (SC).

No Governo Bolsonaro, de janeiro de 2019 a 1° de maio de 2022, a gasolina, nas refinarias, subiu 165,8%; o diesel, 155,2%; e o GLP, 118,4%, levando o preço médio do botijão de gás de 13 quilos para acima de R$ 120, de acordo com cálculos feitos pelo Dieese para a Federação Única dos Petroleiros (FUP).

Os aumentos, que seguem a política de Preço de Paridade de Importação (PPI), garantiram o lucro de R$ 44,56 bilhões da Petrobras no primeiro trimestre deste ano, 38 vezes maior que o do mesmo período do ano anterior.

A estatal distribuirá dividendos de R$ 48,5 bilhões, menos de seis meses após a distribuição de R$ 101 bilhões do exercício anterior. “Socializamos os investimentos e privatizamos os lucros. Quem paga os dividendos para os grandes fundos de investimentos nacionais e internacionais é o povo brasileiro”, afirma o coordenador-geral da FUP, Deyvid Bacelar.

Caro Leitor, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Precisamos de sua contribuição para manter nosso jornalismo honesto e independente. Se você puder contribuir com qualquer valor que não te fará falta, nós agradecemos. A Chave PIX Agencia MBrasil é agenciabrasilmaior@gmail.com

O presidente da Petrobras, José Mauro Ferreira Coelho, reconheceu que o aumento do preço do petróleo em todo o mundo, nos três primeiros meses deste ano, se refletiu em lucros de todas as grandes petroleiras globais.

Coelho, porém, disse nesta sexta-feira, no Rio de Janeiro, em coletiva online, que não há relação significativa entre os resultados da companhia e o reajuste dos preços dos combustíveis. A estatal teve lucro de R$ 44,5 bilhões no primeiro trimestre deste ano. Coelho explicou que 80% dos ganhos no período foram provenientes da atividade de exploração e produção de petróleo e 20% dos demais segmentos.

De acordo com Coelho, no primeiro trimestre de 2022, a Petrobras pagou em tributos para a União, estados e municípios uma vez e meia o valor do seu lucro líquido. “Um bom resultado da Petrobras se repercute também para a sociedade como um todo. Isso gera investimentos em saúde, saneamento, transporte e uma série de outros investimentos importantes”.

Coelho disse que, no primeiro trimestre deste ano, em tributos e participações governamentais, foram pagos mais de R$ 70 bilhões. Segundo o presidente, cada R$ 1 bilhão investido pela Petrobras gera cerca de 10 mil empregos. “Então, é emprego e geração de renda na veia”.

O Relatório Fiscal da estatal de 2021, no entanto, mostra que a maior parte é apenas recolhimento de impostos como ICMS e participações governamentais. O valor pago de Imposto de Renda e Contribuição Social referente ao ano fiscal de 2021 foi de apenas R$ 10,4 bilhões.

Em relação ao resultado do primeiro trimestre, Coelho disse que a última vez em que o preço do barril do petróleo no mercado externo esteve acima dos US$ 100 ocorreu no primeiro trimestre de 2014, quando o preço atingiu US$ 108. Ele analisou que, mesmo com o preço à média de US$ 108 o barril, a Petrobras não teve, àquela época, resultado como o registrado agora. “Porque não é simplesmente uma questão de preço elevado de petróleo mas, sim, uma questão de uma gestão eficiente, comprometida com a busca pelo resultado, a redução de custos”. Coelho, porém, não comparou os preços cobrados nas refinarias naquela época e agora.

O presidente disse que entre o primeiro trimestre de 2014 e o primeiro trimestre de 2022, a Petrobras teve uma redução da dívida de US$ 160 bilhões para menos de US$ 60 bilhões, uma redução de 65% no pagamento de juros proveniente de financiamentos, redução de 30% na produção de petróleo e gás natural, queda de 60% nos custos das despesas administrativas, queda de mais da metade dos custos de extração de petróleo e redução de 30% nos custos de refino. Coelho disse que a companhia tem hoje uma gestão comprometida com o resultado e a redução de custos.

O presidente da Petrobras disse que o aumento do preço do petróleo em todo o mundo, nos três primeiros meses deste ano, se refletiu em lucros de todas as grandes petroleiras globais. Ele destacou também que dos cerca de 800 mil acionistas da Petrobras, 700 mil são brasileiros. Em relação à questão de preços, Coelho considerou legítima a preocupação do presidente da República em relação aos preços mais elevados dos combustíveis, “que acontece em todo o mundo” e resulta em preocupação de todos os líderes governamentais. “Por outro lado, por dever de diligência, os administradores da Petrobras e de todas as empresas de capital aberto devem atuar alinhados de acordo com a atual política de preços da companhia”, disse Coelho.

Já Deyvid Bacelar, da FUP, afirma que “o foco da Petrobras hoje é gerar e distribuir valor, principalmente para acionistas privados. Mais de 45% são investidores estrangeiros, com ações da Petrobrás nas bolsas de São Paulo e de Nova York. Os gestores da empresa socializam os investimentos e privatizam os lucros. Quem paga os dividendos para os grandes fundos de investimentos nacionais e internacionais é o povo brasileiro”, afirma.

“Com essa política de preço, que tem impacto nefasto no custo de vida, a inflação cresce e a renda média do brasileiro cai”, afirma o coordenador da FUP.

Com informações da Agência Brasil, CUT e FUP

Matéria atualizada às 20h23 para inclusão do valor da gasolina nos postos e esclarecer o pagamento de impostos pela Petrobras.

Com informações Monitor Mercantil


Gostou? Compartilhe!